Os 10 primeiros livros de Paul Brunton

Os 10 primeiros livros de Paul Brunton

De 1934 a 1943, PB escreveu nove livros e, em 1952, mais um, sendo que todos eles foram traduzidos para o espanhol e português, além de mais outros 13 idiomas. Através desses livros, tornou-se um autor respeitado internacionalmente e reconhecido como especialista em assuntos espirituais. A recepção desse ensinamento contido em seus livros foi extremamente positiva, fazendo com que os leitores aguardassem ansiosamente pela próxima publicação, além de resenhas e depoimentos em quase todos os jornais, e uma correspondência volumosa dos leitores a PB.

Tudo isso demonstrava a grande necessidade de uma apresentação moderna da sabedoria esotérica da qual PB era um veículo. Esses livros foram escritos, em sua maioria, durante o tempo que PB esteve com Ramana Maharshi, refletindo seus ensinamentos. Seus livros escritos posteriormente, de cunho mais filosófico, mostram seus estudos adicionais com V. Subramanya Iyer. Neles, PB traçou um caminho de desenvolvimento espiritual para o ocidental moderno, que vivia uma vida agitada no mundo, inicialmente por meio de relatos de suas viagens e encontros com mestres espirituais, depois delineando um sistema de práticas e técnicas espirituais para transformação pessoal.

Finalmente, na “A Sabedoria Oculta Além da Yoga” e na “A Sabedoria do Eu Superior”, apresenta uma síntese filosófica de ensinamentos esotéricos, consistentes com a compreensão científica e psicológica moderna.

A Índia Secreta

A Índia Secreta

O Oriente é o quadrante donde provém toda a luz que ilumina o mundo: luz do Sol e luz do Espírito. Não é sem significação que dali vieram para o Ocidente as grandes religiões e filosofias, e mesmo a ciência, que depois enriqueceram a cultura de suas nações.

Mas o país oriental mais especialmente apontado como a pátria da verdadeira espiritualidade e mistérios é a Índia, berço dos maiores pensadores da antiguidade. Mercê de seus antepassados gloriosos, ainda hoje tudo ali respira e transpira religiosidade, misticismo, filosofia, não obstante algumas de suas modalidades envoltas em formas aparentemente grosseiras. Eis porque aquele país, desde a metade do século dezenove, tem se tornado o ponto de convergência dos estudos e pesquisas dos maiores orientalistas ocidentais, que desse modo enriqueceram a cultura deste hemisfério.

Entre esses investigadores, está Paul Brunton, autor desta e outras obras, e que se destaca por seu ardor e imparcialidade no trato dos problemas da cultura e do espírito. Assim, nas páginas que seguem, assistirá o leitor ao desfile dos mais exóticos e interessantes personagens, de ambos os sexos e de diversas categorias, uns imponentes e raros, e outros rasteiros e vulgares. E a todos o autor inquire, analisa e compara com alta compreensão.

É, pois, um livro útil aos estudiosos destes problemas, e de leitura atraente aos simples curiosos. Nele, cada um pode aprender, no mínimo, que os homens buscam a Verdade por muitos caminhos, e que a Verdade é como o Sol dadivoso, que irradia sua luz, calor e vida para todos, indistintamente, com a única condição de buscarem seus raios benfazejos.

Nesta obra, o que menos se vê é o seu próprio autor, cujo objetivo se concentrou exclusivamente em expor os fatos por ele observados e analisados. Como jornalista, aprendera a empregar a técnica do hábil e impessoal redator tão só preocupado em descobrir, observar, relacionar e expor fatos com a maior fidelidade, a fim de que outros os lessem, estudassem e tirassem as suas próprias conclusões.

Aqui, pois, não se tropeça com nenhum preconceito, nenhuma superstição, nenhum intuito proselitista. Apenas uma lúcida exposição de fatos e acontecimentos com inteira isenção de ânimo – alguns dos quais o autor experimentou em si mesmo – visando ampliar e aprofundar a cultura de seu país e de seus leitores de todo o mundo. O leitor tem, pois, em mãos uma obra que se recomenda por sua honesta objetividade, e digna de ocupar lugar em destaque em qualquer biblioteca, seja grande ou pequena.

Editora Pensamento – 1934

O Caminho Secreto

O Caminho Secreto

Destina-se este livro a auxiliar o desenvolvimento do Ser Interno, também conhecido com Alma ou Espírito. Seu próprio título sugere que existem dois caminhos de desenvolvimento interior: o secreto e o não-secreto, ou o individual e o coletivo. Mas o problema individual é também coletivo, e vice-versa, porém o individual é mais direto, incisivo, revolucionário.

Sua mensagem convida ao repouso reflexivo todo o nosso agitado mundo moderno, e a mergulhar na paz de seu mais profundo íntimo todos os que se sentem cansados, aflitos e insatisfeitos com a monotonia cotidiana das coisas e circunstâncias que os envolvem. Ouçam essa mensagem e a pratiquem, e com seus próprios olhos verão esse torturante caos desaparecer como tênues nuvens ante os poderosos raios solares, e um cosmos de harmonia a surgir-lhes na frente, qual sonhado remanso tranquilo para acolher e embalar o fatigado navegante.

Editora Pensamento – 1935

O Egito Secreto

O Egito Secreto

Jornalista e escritor de longas trajetórias no caminho da experiência, profundo observador e analista, logrou o autor alcançar estados superiores de percepção, falando-nos, neste livro, com grande simplicidade e máxima profundeza.

Os estudiosos dos mistérios, nele encontrarão extraordinárias revelações e os aspirantes, vigorosos estímulos para a solução de certos problemas da alma humana.

Paul Brunton não buscou simplesmente nos livros, apressados relatos de turistas e viajantes, concernentes ao Egito, para oferecê-los aos olhos curiosos do leitor. Não! Foi lá viver, pôr-se em contato com personagens humildes ou elevadas, a fim de colher o que de mais misterioso e profundo guardavam esses homens.

Ele mesmo passou por surpreendentes experiências; arriscou sua vida em busca do mistério e, com aquela desenvoltura de sua pena de jornalista, escoimada de fantasia, relatou com sinceridade o que encontrou nos velhos Templos, nas Pirâmides e na Esfinge misteriosa.

A sua responsabilidade moral é um sólido endosso a tudo que lemos nesta obra, fartamente ilustrada, porque não se trata de um simples aventureiro, ávido de pôr em relevo o seu nome, mas, sim, de um investigador sério e nobre, cujas obras são conhecidas e reverenciadas no mundo literário.

Com já acima dissemos, Paul Brunton “viveu” nos episódios, aqui tão eloquentemente relatados e teve ânsias de revelar ao mundo tudo aquilo que realmente viu e sentiu.

O Egito, tão fascinante pelos seus mistérios, suas antigas pompas, seus templos e monumentos, suas iniciações secretas, foi o móvel que impulsionou o ilustrado escritor que, vencendo inúmeros obstáculos, confabulou com faquires e iniciados, chefes de religião, entre os quais citamos Sua Eminência, o Sheik el Islam Mustafa el Maraghi, presidente do Conselho Central de Congregação Islâmica do Egito; o famoso médico e faquir Dr. Tahra Bei; um misterioso mago egípcio, que demonstrou ao autor seus tremendos poderes, trazendo-nos dessas e outras entrevistas farta messe de conhecimento úteis e de fenômenos verdadeiramente assombrosos.

As suas excepcionais condições de quem foi buscar “in loco” algo de extraordinário e fascinante tornam este volume digno de figurar na estante dos que investigam, estudam e meditam.
Paul Brunton relata-nos como pode, por intermédio do Sheik Moussa, aprender a dominar uma perigosa serpente, tornando-a dócil, apesar dos seus fundados receios; como foi alvo de eletrizante experiência na “Câmara do Rei’, instalada na Pirâmide, onde assistiu à materialização de dois antigos Mestres que lhe ministraram profundos ensinamentos.

Dizer mais seria frustrar ao leitor o prazer de acompanhar o autor, sentir seus passos e os mesmos arrepios, em sua peregrinação ousada, através dos templos seculares dessa terra para sempre misteriosa: o Egito!

Editora Pensamento – 1936

Mensagem de Arunachala

Mensagem de Arunachala

Arunachala é o nome de uma colina no sul da Índia. A palavra, em Sânscrito, significa “colina vermelha”. Este livro foi escrito nas encostas mais baixas desta colina. Paul Brunton descreve a colina em seu primeiro capítulo e nele mostra as sagradas e inspiradas associações nascidas no local. O livro é a aplicação dos principais ensinamentos do venerado mestre de Paul Brunton, o Maharshi, que foi mencionado em “A Índia Secreta”. A doutrina do “conhece-te a ti mesmo” foi aplicada, em princípio, a vários problemas da vida moderna. O capítulo final dá o clímax de seus ensinamentos, e transporta-nos de nosso ambiente mundano para altitudes espirituais.

Editora Pensamento – 1936

Um Eremita no Himalaia

Um Eremita no Himalaia

O autor, bem conhecido por suas obras, que são best-sellers numa dúzia de línguas, nasceu em Londres em 1898. Durante sua bem-sucedida carreira jornalística interessou-se pelo estudo comparativo de religiões, filosofia e misticismo. Viajou extensamente pelo oriente, convivendo com yogues, místicos e homens santos. É um dos poucos estudantes das coisas da Índia e do Oriente capacitados para iluminar-se e iluminar o leitor.

Um Eremita no Himalaia é uma de suas obras raras, que reúne uma rica variedade de narrativas de viagens e de profundas experiências espirituais. A medida que mentalmente acompanhamos o autor em sua fascinante viagem através das vastas cordilheiras do Himalaia até o sagrado Monte kailas no Tibete, incalculáveis sugestões sobre Yoga e práticas místicas no Oriente nos são transmitidas envoltas em esplendentes descrições cênicas, entremeadas de agudas reflexões sobre assuntos mundanos e reminiscências autobiográficas, e notas sobre a flora e fauna das regiões percorridas, sobre a montanha, além de confidências do autor sobre suas profundas experiências em meditação.

Estas páginas estão como que impregnadas das tranquilas e perfumosas aragens que sopram suavemente as cristas das montanhas do Himalaia, e por certo as comunicarão aos leitores, cansados e esgotados na intensa azáfama da vida moderna. 

Editora Pensamento – 1936

A Busca do Eu Superior

A Busca do Eu Superior

Segundo o autor, este livro é como um prolongamento e complementação de seu pequeno livro O Caminho Secreto, que lograra larga aceitação pelo público. Ele não se considera um instrutor espiritual e muito menos um missionário salvador, mas apenas “um homem normal, com alguns interesses anormais, mas vivendo uma vida normal e sem se arrogar nenhuma superioridade”. Escreveu este livro mais para atender a instâncias de leitores do seu livro anterior, acima mencionado, a fim de ampliar e esclarecer ideias e conceitos ali apenas esboçados e que para alguns talvez ficassem mais esvoaçando no ar, em vez de se enraizarem em suas vidas, como fora o seu objetivo.

Por isso, esta obra se desdobra em duas partes. Na primeira, faz uma análise do homem físico, emocional e intelectual, que constitui a sua personalidade mortal condicionada ao tempo, e lhe mostra a sua natureza espiritual, cuja dimensão é a própria eternidade. Na segunda parte, apresenta uma série de práticas que, se aplicadas inteligentemente, podem desenvolver a cultura espiritual pelo domínio das emoções e da mente, e da auto busca ou introspecção. Aborda aqui também o mistério da respiração, do olho e do coração, bem como o Eu Superior e a sua expressão em ação. Finalmente trata a Busca, que tem sido a meta, drama e façanha de todas as almas, grandes e pequenas, de todos os tempos e lugares.

Esta Busca o autor também tem empreendido e em sua jornada tem encontrado muitos outros peregrinos com os quais muito aprendeu e, para retribuir de algum modo o muito que recebeu, deseja distribuí-lo também aos demais, famintos como ele de encontrarem o seu Eu Superior, qualquer que seja a sua condição. É, pois, um livro altamente instrutivo e educativo.

Editora Pensamento – 1937

A Realidade Interna

A Realidade Interna

Paul Brunton é um dos maiores conhecedores de Filosofia Iogue no Ocidente. Familiarizou-se profundamente com a sabedoria espiritual do Oriente através de longas viagens pelo Egito e pela Índia e de contatos pessoais com seus mais eminentes faquires, eremitas, sábios e magos. Neste seu novo livro aborda ele, em linguagem clara e objetiva, temas dos mais fascinantes, ente os quais:

>> O que é Deus?
>> Auxílio prático da Ioga
>> Autoanálise psicoespiritual
>> A questão do Ascetismo
>> A Escritura dos Iogues
>> Erros do Buscador Espiritual
>> O Mistério de Jesus

Editora Pensamento – 1939

A Sabedoria do Eu Superior

8. A Sabedoria do Eu Superior

O autor considera esta obra um complemento e ampliação de suas obras anteriores versando tema semelhante. Não só aprofunda os problemas humanos e os processos de desenvolvimento dos poderes da consciência até então aflorados, mas ainda oferece ao pesquisador uma dimensão nova para encarar lucidamente o universo e o seu dinamismo, e penetrar-lhe nos segredos da alma, a Mente-Mundial. E fá-lo magistralmente, naquele seu estilo espontâneo como o fluir das águas de um rio, colorido como as suas ondulações e de uma clareza tão cristalina e transparente que permite ver sem esforço a gemas a cintilar no leito do rio.

Editora Pensamento – 1943

A Crise Espiritual do Homem

9. A Crise Espiritual do Homem

Este livro se concentra na situação do homem atual, e nas possibilidades de uma solução para os problemas que assediam o mundo. O Dr. Brunton admite que os progressos feitos na tecnologia e ciência, cujos resultados ameaçam agora nossa própria existência, são inevitáveis e mesmo necessários. Mas, como ele explica, como estes progressos foram feitos sem atentar para as verdadeiras necessidades da humanidade, voltaram-se mais para o mal do que para o bem.

Em sua apreciação destas grandes tendências, o Dr. Brunton investiga o conceito de Deus, desde o da primitiva superstição até o mais elaboradamente filosófico, e depois descreve o que lhe tem ensinado suas próprias experiências místicas acerca da real natureza de Deus e das relações do homem com essa natureza. Finalmente, ele crer ser da maior urgência transcendermos o mero intelectualismo pelo despertar de nosso poder de intuição, por ser esta a voz da Alma ou Eu Superior e o laço essencial entre Deus e o homem. Cabe-nos submeter-nos a esta voz se temos em mira salvar-nos do caos e destruição.

Editora Pensamento – 1952

A Sabedoria Oculta Além da Ioga

10. A Sabedoria Oculta Além da Ioga

Neste livro magistral, um especialista em sistemas da ioga aborda conhecimentos que transcendem o nível comum das Iogas, ou não entram na faixa mais restrita e especializada da Ioga em geral. Ou, nas palavras de Buda, “os homens superiores e de vasta compreensão preservam a doutrina, preservam o mistério e não o revelam, pois tal conhecimento é de difícil compreensão: os simples ficariam perplexos ao ouvi-lo”. A Sabedoria Oculta Além da Ioga é um dos livros mais notáveis de Paul Brunton, que nele alcança dar uma nova dimensão às pesquisas do Oculto.

Editora Pensamento – 1975